E agora de quem é a culpa ?

Hoje trago-vos uma história tão boa do país que temos, que aconteceu comigo. Já tinha dito há muito tempo que vos contava, chegou a hora de o fazer.

Fez em Agosto 1 ano que entreguei curriculum numa empresa onde, passados cerca de 2-3 meses me contactaram e disseram que me aceitavam para envergar num estagio profissional remunerado pelo IEFP. A empresa submeteu a candidatura no mês de Dezembro e eu iria servir para substituir uma funcionária que iria entrar em licença de maternidade.
Eis que em Março me contactam várias vezes (após eu ligar quase todas as semanas a perguntar por novidades) e me propõem que comece a trabalhar antes do estágio ser aprovado para que pudesse aprender e estar à vontade antes do Verão que é quando existe mais afluência e mais trabalho. Eu farta de estar em casa a olhar para as paredes, pensei um pouco e achando que o estágio não ia demorar, aceitei e lá fui trabalhar. 
Passou um mês, passaram dois e por aí... Em Junho fui chamada a ir ao IEFP que finalmente as coisas estavam a andar. Chego lá e sou informada que a minha candidatura tinha sido mal feita, colocando-me a dois níveis de formação inferior ao meu. Agradeço ao senhor que me recebeu no IEFP que me explicou tudo ao pormenor e me aconselhou a esperar um pouco mais mas a não me prejudicar.

Posto isto recusei o estágio e pedi à empresa que submetesse nova candidatura desta vez corretamente.

Com isto passaram 4 meses,  eu a trabalhar e sem receber um tostão. Várias vezes questionei se seria possível adiantarem-me alguma coisa nem que tivesse que devolver depois mas a única resposta que recebi foi de uma das colegas que chegou ao cúmulo de dizer que me emprestava dinheiro caso eu precisasse. Pois claro, eu já andava a ameaçar ir embora se continuasse nas condições em que me encontrava e sabiam que o meu trabalho era indispensável.

Questionei várias pessoas da empresa e ninguém me resolvia o problema. Decidi ligar para a dona da empresa e resolver a minha situação. Ficaram todas muito ofendidas mas fiz por mim e pela minha situação, nunca passando por cima de ninguém nem pondo em causa o trabalho de ninguém (isso eu vejo mas guardo para mim).

Adiantaram-me 4 meses que tinha trabalhado até à data e disseram que a partir daí me iriam pagar normalmente até vir o estágio, coisa que nunca aconteceu.

Final de Setembro e volto a ser chamada ao IEFP. Agora sim está tudo em ordem e dou inicio ao legal estágio.

Faz 9 meses em Dezembro que estou a trabalhar. Faz 9 meses em final de Junho de 2017 que se deu inicio ao estágio legal. Agora vou passar 9 meses a dividir o meu ordenado com a empresa para que possa devolver o valor que me foi adiantado. Vou passar 6 meses sem poder trabalhar pois irei estar com o estágio legalizado o que não me deixa trabalhar nem por contra própria nem por contra de outros.

Agora páro e penso: o que ganhei eu com isto? Aprendizagem, esperteza para não voltar a fazer o mesmo e ter mais atenção no futuro. Não estive a olhar para as paredes durante este tempo, vou estar agora. Tenho perfeita noção de que se aproveitaram e aproveitam de mim pois aprendo depressa e não tenho medo de aprender e fazer sempre mais e mais.

Sei que o meu trabalho não é valorizado como devia, nem a minha atitude de ter vindo para a empresa antes do tempo.

Infelizmente, é neste país que vivemos, em que a maioria dos donos das empresas se acham superiores e fazem das pessoas o que querem, acabando por prejudicar as pessoas que os ajudam de boa fé.


Alguém já passou por algo semelhante? 

Algum conselho para mim? O que acham que posso fazer nestes 6 meses que se estão a aproximar? 

Beijinhos

Comentários

  1. Infelizmente, já ouvi histórias semelhantes à tua, mas continuam-me a chocar. É realmente chocante e revoltante como se aproveitam das pessoas mais jovens!
    Devo-te elogiar, conseguiste manter sempre a tua compostura e lutar pelos teus direitos ao mesmo tempo, sem pisar ninguém, o que não deve ter sido fácil na tua situação. Outra pessoa já se teria passado e gritado com a dona da empresa!
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  2. Nunca me aconteceu...mas já trabalhei como jurista na área laboral e são montanhas de casos assim.

    ResponderEliminar
  3. Que situação chata :/ Daqui a 1 ano sou eu a procurar emprego, espero não me esquecer desta história!
    Quanto ao que fazer... acabei de chegar aqui e não te 'conheço' para dar as melhores opiniões, mas se precisas muito de dinheiro aconselho-te a procurares um 'biscate'. Se não for o caso aproveita para procurares algo melhor para quando esses meses passarem, trabalho no currículo, coisas que te ajudem a que a próxima experiência seja melhor :)

    ResponderEliminar
  4. Na minha situação, eu e a entidade fizemos a candidatura em Maio e o resultado saiu em Setembro. Trabalhei de Maio a Julho (em Agosto tive um mês de férias) "ao negro", mas a ganhar algum! Depois iniciei em Setembro e fiz um ano de estágio. Deveriam de ter tomado essa atitude contigo, mas há patrões que só pensam neles! :/ Quanto ao facto de estares parada, podes sempre tentar fazer algo "ao negro" de forma a que não te prejudiques. Mas, este é o país que temos, infelizmente! :/ Força!

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente deve haver muitos casos pois tenho um familiar bem próximo nas mesmas condições . É realmente uma vergonha e essas empresas ficam sempre por cima :(

    ResponderEliminar
  6. Na minha empresa existem alguns casos parecidos, é injusto pois as pessoas são esforçadas fazem bem o seu trabalho e recebem tão mal.

    Infelizmente são formas que os grandes arranjam para ficarem um pouquinho mais ricos. E infelizmente as pessoas têm de se submeter.

    ResponderEliminar
  7. Já passei.

    Duas vezes.

    Na 1ª estive a trabalhar 3 meses debaixo da mesa até chegarem os papeis. Fui mastigada, "deitada fora" (fui a única pessoa que alguma vez levou o estágio lá até ao termo...) e o IEFP disse-me que não ficasse ofendida de ir ser trocada por outro estagiário, que o programa de estágios hoje já não procura empregar e que eu é que tinha ganho 1 ano de salário no meio daquilo tudo.

    Na 2ª empresa tive que fazer exatamente o mesmo que tu. Mas não fiquei até ao final. Ao fim de 8 meses encontrei um emprego com contrato "correto" e vim para Lisboa - ainda hoje a mepresa me deve dinheiro de um acidente de trabalho que tive, com eles...

    Não está sozinha, infelizmente!***

    ResponderEliminar
  8. Fico triste por ler este tipo de cenários em Portugal :/ desculpa não te poder ajudar...

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
  9. Estive um ano á espera que a candidatura fosse aprovada porque o estágio era sucessivamente indeferido porque era mal submetida a candidatura. Durante esse ano trabalhei ao negro sem descontos e a fazer tanto como quem lá estava a contrato.
    Quando falei com a entidade patronal sobre o caso disseram-me: ou quer assim ou vai embora, e eu como precisava de trabalhar aceitei.
    Ao fim de 1ano o estágio foi finalmente aprovado.
    No teu caso o que te posso dizer é, não estás sozinha nessas situações. existem imensas no nosso pais infelizmente. Pensa nisso como uma aprendizagem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares