O lado que não conheces dos Estágios Profissionais

Hoje conto-vos uma história que durou quase dois anos. Conto-vos pois espero que não se deixem "enganar"como eu deixei. Ninguém olha ao bem que fazemos nem ninguém valoriza os nossos esforços, infelizmente.


Em Agosto/Setembro de 2015 estava eu à procura de estágio profissional e perguntei a uma conhecida se e como poderia enviar o meu CV para o local onde ela estava a trabalhar. Muito simpática e prestável disse-me para lhe ir entregar o CV em mão que ela própria o faria chegar à dona da empresa.
Assim foi, ou pelo menos penso eu que sim. Não sabia eu que essa minha conhecida estava grávida e que eu iria servir apenas para a substituir na licença de gravidez.
Fui contactada, onde me disseram que iam aceitar o meu estágio lá e que iriam dar andamento a tudo com o IEFP.

Meses e meses de espera...

Em Março de 2016 fui contactada por uma senhora da empresa que me disse que o processo estava em andamento, um pouco demorado, e que a minha conhecida já estava de baixa, pelo que precisavam que eu aprendesse as minhas funções o quanto antes, antes da grande confusão e afluência do verão.
Farta de estar em casa e na esperança de que tudo se resolvesse depressa, aceitei começar antes de chegar o contrato de estágio.

Cerca de três meses depois sou finalmente chamada ao IEFP, onde me deparo com a minha candidatura mal feita!!! Eu sou licenciada e colocaram-me como se tivesse apenas concluído o ensino secundário. Além da diferença de cerca de 100€ por mês (que me falaram que podiam pagar à parte), não me fazia muito sentido ser licenciada e estar a fazer um estágio num grau abaixo do que era suposto. 
Recusei e falei com os Recursos Humanos da empresa para me resolverem o problema e começaram então a tratar de uma nova candidatura.

Passaram quatro meses desde que tinha começado a trabalhar e ainda não tinha visto nem um cêntimo. Os meus pais já se chateavam comigo por me estarem "a pagar" para eu estar a trabalhar. Como ninguém me resolvia esse problema, peguei no meu telemóvel e liguei para a dona da empresa que nem gostou que eu o fizesse pois respondeu «pago a pessoas para tratarem dessas coisas por mim.», pessoas essas que em quatro meses não fizeram nada de nada.

A situação "resolveu-se" a adiantarem-me esse tempo de ordenado que eu iria devolver mais tarde (Foi exatamente o que aconteceu).


Nestes quatro meses aprendi as minhas funções com a senhora que estava de serviço, muitas vezes aprendi sozinha ou estando ao telefone com outros funcionários. Foram-me dadas tarefas e responsabilidades que um estagiário não deve ter. Fiquei muitas vezes sozinha com tudo à minha responsabilidade e tinha que me desenrascar e resolver da melhor forma os problemas que iam aparecendo.


A minha conhecida volta ao trabalho e o meu contrato nem vê-lo... Esta tenta fazer de mim sua escrava, chegando a tentar fazer de mim parva e chegar ao ridículo de me ligar para ir mais cedo fazer tarefas que também lhe competiam mas como a vontade era pouca... Calei-me muitas vezes mas respondi à letra outras tantas, da forma mais calma e educada que me era possível. Não cedi em tudo nem deixei que me pisasse. Chega ao ponto de me ameaçar e dizer que é capaz de ligar à dona da empresa para me cancelar o estágio.

Não passaram de ameaças mas, no meu caso, fiquei a temer por isso, pelo contrato, pelo meu ordenado e pelas coisas que poderia inventar (e chegou a fazer, metendo a minha vida pessoal ao barulho e inventado coisas inimagináveis, distorcendo tudo e fazia isso a todos os funcionários só para que existisse o pior ambiente de trabalho possível). Pessoa má!


Em Setembro, finalmente chega o meu contrato de trabalho e, em Dezembro, termino os meus nove meses de trabalho naquela casa.

Durante os nove meses que á estive trabalhei imenso, fiz muitas vezes o que mais ninguém queria fazer, tive responsabilidades e resolvi problemas que não me competiam a mim resolver. Fiz amigos porque sei que além daquela pessoa má, toda a restante equipa ficou a gostar de mim e não esquecerei ninguém.


Continuando...

O meu contrato de trabalho estava em vigor até ao final de junho de 2017. Eu não estava a trabalhar mas estava impossibilitada de trabalhar legalmente em algum sítio. Acabei por perder várias oportunidades de trabalho devido a essa situação.

Antes de o verão começar vieram falar comigo, perguntar se queria fazer na mesma empresa um contrato de três meses e eu disse que sim pois, apesar da existência daquela pessoa,as restantes são boas colegas, o trabalho faz-se bem, estava perto de casa mas... Poucos dias antes desse contrato poder começar recebo um recado (sim, isso mesmo) de que não iria ser eu a ocupar o lugar porque essa minha conhecida implicava demasiado comigo e a patroa não estava para aturar isso.


Desilude-me muito o facto de os ter ajudado quando precisaram, ficar prejudicada a vários níveis por o ter feito e, no final, continuei prejudicada sem nenhuma razão que o justifique, apenas a maldade de uma pessoa.


Estou a trabalhar neste momento mas a 50km de casa pois perdi várias oportunidades de trabalho muito mais perto mas como eu não sou de estar parada decidi aceitar este trabalho tão longe, esperando por melhores dias.


Contei a minha história para que não caiam no mesmo erro, não se deixem enganar nem iludir. Corram sempre atrás dos vossos sonhos e façam de tudo para serem felizes.


Um beijinho*

Comentários

  1. Olha eu estive 1 ano a trabalhar a espera da aprovação do estágio também.
    É uma pena que as empresas não saibam valorizar quem veste a camisola por ele! Já várias vezes partilhei este meu pensamento e acho que é comum a muita gente!

    ResponderEliminar
  2. Fico tão triste a ler este tipo de coisas...

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
  3. Tenho muita pena de ler relatos como este. Também tive conhecimento de pessoas próximas que estiveram em situações similares. E está falta de reconhecimento por parte de superiores face a estagiários é degradante.
    https://jusajublog.blogspot.pt/?m=1

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente existem pessoas assim... até mais do que imaginamos.
    Espero que agora estejas muito melhor.
    Beijinhos

    Blogdiariodeumafamilianormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Profissionais ainda não fiz nenhum, mas obrigada por me dares a conhecer esta realidade, assim fico preparada para uma próxima :)

    Beijinho e resto de boa semana :)
    https://diamonds-inthe-sky.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. O stress que deve ter sido isso tudo! Espero que as coisas corram bem :)

    https://aguadelotus.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Acho que o que relatas acontece sempre.
    É a própria condição do estagiário. É maltratado, tratado como escravo. Pelo menos por vezes respondeste à letra e não te deixaste pisar. Eu não fazia isso... não por ter medo, mas por não desejar conflitos e no fundo por uma certa ingenuidade que me levava a pensar que se calhar a agressividade era fruto de um momento apenas. PORTUGAL não está bem organizado. E reconhecimento por um trabalho bem feito?? ESQUECE!

    Enquanto precisam de ti, trabalhas, com sobrecarga e fazes tudo o melhor que consegues, conseguindo sobressair no desempenho. Mas cometes um pequeno erro e vão adorar apontá-lo e exagerá-lo. Há gente má em TODO O LADO. Já descobri isso. Se calhar o que me disseram "não confies em ninguém" é que é o certo. Tanta gente que finge estar de bem contigo na tua cara mas pelas costas vão difamar-te...

    Essa tua amiga/conhecida falou com a patroa e impediu o teu regresso. Os maus têm sempre muita força. Ao menos tiveste a sorte de encontrar apenas uma pessoa e outras «do bem». Muitas vezes a proporção é bastante mais desequilibrada.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares